Lesão no coração de atletas que tiveram COVID-19

Anormalidades cardíacas podem estar associadas a infecção pelo novo coronavírus, SARS-CoV2, mesmo em atletas.

A miocardite é uma causa de morte súbita cardíaca em atletas competitivos e pode ocorrer mesmo com função ventricular normal.

Evidências recentes levantaram preocupações sobre a inflamação do miocárdio após a recuperação da doença coronavírus 2019 (COVID-19), mesmo em pacientes assintomáticos ou levemente sintomáticos.

Recente estudo publicado na JAMA teve como objetivo investigar o uso da ressonância magnética cardíaca em atletas competitivos recuperados da COVID-19.Com este exame é possível detectar INFLAMAÇÃO MIOCÁRDICA, que poderia se associar a atletas com alto risco para o retorno ao jogo competitivo.

A ressonância magnética cardíaca foi realizada após quarentena recomendada (11-53 dias).

Além deste exame de imagem foi feito um eletrocardiograma, analisado troponina I sérica e ecocardiograma.

Participaram do estudo:

  • 26 atletas competitivos (universitários)
  • média de 20 anos de idade
  • homens e mulheres
  • modalidades esportivas: futebol, futebol, lacrosse, basquete e atletismo

NENHUM atleta precisou de hospitalização ou recebeu terapia antiviral específica para COVID-19.

12 atletas (26,9%; incluindo 7 mulheres) relataram sintomas leves durante a infecção de curto prazo

  • dor de garganta, falta de ar, mialgias, (febre),

  • outros eram assintomáticos.

Não houve alterações da onda ST / T no eletrocardiograma, e os volumes e funções ventriculares estavam DENTRO DA FAIXA NORMAL em todos os atletas.

NENHUM atleta apresentou níveis séricos elevados de troponina I.

4 atletas (15% todos os indivíduos do sexo masculino) apresentaram achados de ressonância consistentes com MIOCARDITE com base na presença de 2 características principais dos Critérios de Lake Louise atualizados: edema miocárdico por sinal T2 elevado e lesão miocárdica pela presença de LGE não isquêmico.

Derrame pericárdico estava presente em 2 atletas com evidência de ressonância de miocardite.

Dois desses 4 atletas com evidência de inflamação miocárdica apresentaram sintomas LEVES (falta de ar), enquanto os outros 2 eram ASSINTOMÁTICOS.

Bom, mas o que isto significa? Que independente de ter tido ou não sintomas, se você teve a COVID-19, uma avaliação com cardiologista, de preferência que seja médico do esporte é indicada! Além disso, um acompanhamento a longo prazo se faz necessário.

Saurabh, et al. “Cardiovascular Magnetic Resonance Findings in Competitive Athletes Recovering From COVID-19 Infection”. JAMA Cardiology, setembro de 2020.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Postagens recentes

Publicação popular

What’s the difference between readability, plain language, and #HealthLit? @CommunicateHlth explains: https://bit.ly/2uLSRsU

Heart Disease and Stroke Statistics—2023 Update: A Report From the American Heart Association https://www.ahajournals.org/doi/10.1161/CIR.0000000000001123#.Y9HOdep_u44.twitter A edição de 2023 inclui publicações adicionais sobre COVID-19 (doença por coronavírus 2019)

Por este link você acessa nossa recente revisão até o dia 21 de fevereiro “Nutritional implications in the mechanistic link between the intestinal microbiome, renin-angiotensin system, and the development of obesity and metabolic syndrome”
https://authors.elsevier.com/a/1gM3r3PDFjuRq5#.Y9EnsddRqG4.twitter

Disparado, o melhor resumo sobre a acusação contra Daniel Alves por estupro de uma mulher na Espanha, por Julia Salander. O cara teve coragem de fazer isso numa discoteca, na frente de todo mundo!

Tive 1h30 a menos de sono pra legendar esse vídeo, mas valeu cada segundo!

Load More
Portuguese PT English EN Spanish ES
MENSAGEM

CONTATO